quarta-feira, 23 de junho de 2010

.

O telefone não toca
a solidão se estoca
o frio se aguça
combinado às páginas

O telefone não toca
O corpo por perto está
A cama vazia
últimas páginas do livro

O telefone não toca
Os lábios tremem
Joelhos oriçados
pétalas de rosa

O telefone não toca e o tilintar imaginário fecha e abre suas pálpebras

3 comentários:

Viviane Botelho disse...

Viajei, cara!

luiz disse...

Sublime...
Simplesmente perfeito...
Uma obra prima...
Você não precisou descrever nada pra deixar na imaginação do leitor uma imagem exata do que esta acontecendo...
Fã #1...
*-*

Mateus disse...

A Paty é a melhor...