quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Aparências

Eu me vejo forçada a me encaixar num mundo de marcas e falsos gestos. Num mundo vazio, num mundo de aparências. Mas a minha aparência parece não ser boa o suficiente para entra nessa massa elitizada. Porém eu prossigo insistindo em atravessar supostas barreiras que me privam de fazer parte de algo que no fundo não é bem o que eu procuro. Na verdade eu faço meio que questão de atravessar essas barreiras pois é curioso o fato de eu não ser boa o suficiente, já que sigo as filosofias de igualdade, uma igualdade que vai além de apenas bens materiais, mas também de valores. E é meio irritante saber que certos filhinhos de papai, cuja conta bancária é significantemente imensa perto da minha, conseguem fazer com que às vezes eu realmente me sinta inferior. Além disso tudo, existe um motivo um tanto quanto medíocre, que tem nome, sobrenome e residência.

Um comentário:

marcela disse...

como eu me orgulho das suas palavras...ah, como me orgulho!
e precisamos conversar, tô sentindo saudades daquelas conversas.

te amo, e amo tanto, minha morena...