quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Ilusão

Mais um engano, mais uma ilusão. E assim, sinto-me em maré alta, transbordando até. De sentimentos que se confundem; é o ódio por um amor tão grande, é a dor da perda de uma conquista, é a ausência de uma alegria.
Reina agora o silêncio interior, mas será breve. Logo mais, começarão os gritos ensurdecedores das lembranças e consequentemente os rios do desespero. A vontade de abraçar e prender o que passou. Porém, o conformismo do fim irá um dia cegar, como luz brilhante, seria talvez uma idéia fascinante. Se conformar e seguir em passos lentos, até outra história se romper, e um novo ciclo em meu peito amanhecer. No entanto, existe uma luzinha verde chamada esperança, na verdade ela sempre foi a minha maior inimiga, afinal, ela não me deixa passar páginas da vida com tanta rapidez quanto eu deveria. Uma jovem bela me disse, que isso não é apenas esperança, é a prova de quão humana eu sou.

Um comentário:

marcela disse...

eu entendo cada palavra da sua dor.pode acreditar em mim.
e eu te amo, muito.