segunda-feira, 24 de maio de 2010

Oi, Noite

Quero a noite, rendo a noite e rendo-me também. To cheia dos quereres não é? Isso é sinal de realizações. Quando se realiza algo deseja-se algo mais e assim é que corre meus rios e todos os rios.
Meus mares transbordam, quanto mais escrevo mais quero escrever e quanto mais leio vejo o tamanho do mundo que devo aprender. Absorvo o mundo e não absorvo nada. Meu Deus, sou intensidade desvairada, corre logo noite. A-manhã chegou e eu dormi. Chega quinta-feira e traga-me um copo de água gelada com gotas de sanidade, pra que tanta hiperatividade? Aquieta-se alma ou não sairá daí. Fica muda, estática preu poder ouvir.
O coração rápido bate sem parar, um suspiro fundo de quem teme dormir e nem quer acordar. A noite tá fria e parece fazer transpirar, o céu ficou roxo e não para de cantar. Doce alucinação, doce medo de nenhum verão. Cai a chuva que não molha, venta o vento de três da tarde e eu cansei da cançaõ. Cansei do som repetitivo de meus textos, sempre aparecem as rimas pobres e sem sabedoria.. invento palavras pos o dicionário já não cabe.
Fim de mim. Aaah mas parece nada do que o tudo que disse... de Drumond a Clarice.
Boa noite, Noite.

4 comentários:

Adriana Borghi disse...

Amo isso aqui. Por isso sempre venho.
Te admiro muito! Gosto da forma que vc escreve.
Te amo.

Beijos

Amanda disse...

boa noite noite.

Viviane Botelho disse...

Nossa, totalmente você.. e essa sua mania de falta de satisfação em que o mundo é pequeno demais pra todas as suas emoções e toda a sua mente? É, eu acho que ele realmente seja pequeno demais pra você. Te admiro por isso. E é essa sua sensação de que tudo está repetitivo e chato que faz com que você se supere e surpreenda cada vez mais.

Hotz disse...

TENHO MEDO ... muito medo !!!