quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Dos dias que passo,
nenhum se perde.
Todos me acham.

Dos dias que sonho,
nenhum acaba.
Todos assumo.

Dos dias que perco,
nenhum se esconde.
Todos me ensinam

Dos dias que viro,
nenhum me mata.
Todos me acordam

Dos dias que vivo,
nenhum morre.
Todos vibram.

2 comentários:

Adriana Borghi disse...

LINDO!
Você que escreveu?


BEIJO. AMO.

Marcela disse...

Você,em palavras.