sexta-feira, 22 de outubro de 2010

.

Gotículas que demonstram temor
dos rostos sombrios e vagos
só o frio medo de um desamor
congela versos tranquilos e raros

Querido! Volte agora então
que os lábios molhados de água
escorrem dor de tudo ser fim vão
em horas deliciosas d'alma

mãos ensopadas, minha aflição
lençois emaranhados, desespero
pés descalços, futura solidão

Voam aos ventos, planos, desejo
queria fim nenhum sem glória
quero amor, paz, silêncio e hora.

3 comentários:

Ana disse...

quando não te entendo ao pé da letra meu peito se comprime. Essa ausência, esse temor, toda essa desgeneração da órbita. Vamos de vento a relento.

Viviane Botelho disse...

Decassílabos lidndíssimos! ^^

Lua Fonseca (: disse...

Quando eu crescer, quero escrever decassílabos! Me ensina? :D
lindo demais, parabéns!